Livro: “O Garoto dos Olhos Azuis” – Raiza Varella

“(…) Seus olhos tinham um brilho tão intenso, que eu poderia nadar dentro deles, me perder e me encontrar, desaparecer sem deixar vestígios e viver ali, naquela imensidão azul para sempre.” (p.203)

Oie, pessoal!
Quem acompanha o blog sabe o quanto fiquei feliz quando fui selecionada pela autora Raiza Varella para fazer parte do Book Tour do seu livro, intitulado “O Garoto dos Olhos Azuis” (publicado pela Editora Pandorga, 2014, 352 páginas). O motivo? Já tinha visto vááárias resenhas por aí falando o quanto a história criada por ela é linda e incrível, então a vontade de ler e conhecer toda essa paixão aumentou cada vez mais!
Mês passado, o livro chegou por aqui e, quando terminei de ler, tive uma surpresa: fui a vencedora do sorteio dele entre os blogs que participaram do BT! Ou seja, agora ele é meu, todo meu, hohoho!!! <3
Já deu pra perceber que minha opinião sobre ele não divergiu em nada das outras que já tinha lido, né? Mas vou explicar melhor o que me cativou nos parágrafos abaixo. Primeiro, conheçam a sinopse dele:

O príncipe encantado existe? Bárbara é linda, loira e bem-sucedida. Desde que assistiu a uma cerimônia de casamento pela primeira vez, ainda criança, seu sonho é apenas um: percorrer o tapete vermelho da igreja, vestida de noiva. Porém, contrariando todas as suas expectativas, ao ser abandonada no altar, a vida de Bárbara desmorona. Ela decide voltar à cidade natal e passa a viver com os irmãos e mais dois amigos. Todos homens. Com a ajuda de Vivian, uma espécie de Barbie Malibu, Bárbara tenta superar sua decepção amorosa recente e uma da adolescência, que volta com tudo à sua memória: o garoto dos olhos azuis. Será que o cavalo branco só passa uma vez? É isso que Bárbara vai descobrir com bom humor, jogo de cintura e uma pitada de neurose, em O Garoto dos Olhos Azuis, romance de estreia de Raiza Varella.


Quando era criança, Babi foi em sua primeira festa de casamento. Na hora da entrada da noiva na igreja, ao invés de olhar para ela, como todos fazem, a menina preferiu o olhar para aquele que a esperava ali, no altar, e o que viu tirou seu fôlego. O noivo olhava para sua futura esposa com tanto amor e devoção que Babi decidiu: o sonho da sua vida seria casar com um cara maravilhoso, daqueles que chega na nossa vida no cavalo branco e, na hora em que ela entrasse na igreja e olhasse para ele, saberia que tinha feito a coisa certa!
Há três anos namorando com Miguel, havia chegado o tão sonhado momento do altar. Mas não foi bem como ela planejou. Além de ser traída pelo noivo, Babi também é apunhalada pela suas duas “melhores amigas”: Manoela e Luiza.
Desiludida, ela abandona tudo e volta, junto com seu cachorro Vitório, para uma cidade pacífica do interior morar com seus irmãos mais velhos: Augusto, de 28, e Gustavo, de 26. Na verdade, os dois moram na casa de Ian, amigo deles, e Bernardo, um outro amigo que também mora no mesmo apê.
Ian tem uma irmã chamada Vivian, ou melhor, Vivi, que é linda de morrer, feito uma boneca. No entanto, apesar de toda beleza e bom coração, ela se sente só e não tem muitas amigas. Logo ela vê em Babi a oportunidade de não ficar mais só e gruda nela o tempo todo.
Depois de muita insistência da Vivi e muita resistência da Babi, as duas começam a desenvolver uma amizade muito intensa, onde uma vira cúmplice da outra em seus planos mirabolantes. Babi ajuda a amiga a chegar mais perto do carinha por quem ela é apaixonada e Vivi tenta tirar Babi da tristeza por conta do casamento fracassado.
Mesmo relutando em morar com 4 homens, Babi decide dar um tempo da vida que tinha e espairecer. Nesse local, no entanto, um fantasma da infância de Babi a assombra um pouquinho… Foi lá que ela conheceu, ainda criança, o garoto dos olhos azuis. O garoto que a livrou de uma humilhação e foi o responsável pelo seu primeiro beijo. O garoto que ela sempre procurou e nunca esqueceu. Será que ela o encontraria de novo?

O que achei? Bem, honestamente, o livro me surpreendeu MUITO! Criei uma expectativa super alta que foi totalmente suprida, apesar de ter me enganado um pouco sobre o que encontraria entre as páginas. Imaginei que a história se voltaria para um romance mais “meloso” e dramático mas, embora esses elementos existam sim, dei muita, mas muita risada com ele. A leitura foi um verdadeiro mix de emoções e, para mim, um livro é bom justamente quando te faz sentir várias coisas ao mesmo tempo, como se você estivesse ali, vivenciando tudo aquilo!
Os personagens são ótimos, extremamente cativantes e únicos! A Babi talvez seja a mais trapalhona de todos eles, mas digamos que seu comportamento, por vezes mimado, tem lá uma explicação. Quem é que vai ficar de bem com a vida depois de ver a vida inteira caindo por terra, né?
Ao invés de ficar irritada com seus comportamentos totalmente imaturos e infantis, achei muita graça. A personagem passa por um processo de adaptação, aceitação e maturidade muito grande ao longo da história. É fácil se reconhecer ou ver uma pessoa conhecida na pele da Babi. Ela, antes de mais nada, é muito, muito humana, além de super divertida!
Vivian também é um amorzinho de personagem! Ai, como queria uma amiga tão fofa e companheira como ela! <3 Achei super bacana a autora ter criado alguém assim, que é mais centrada, direta e bonita que a própria protagonista, mas não a ofusca totalmente. Pelo contrário. Chega um momento em que as duas se completam. Me vi querendo um livro só com a Vivi, hahaha!

Os meninos também são um espetáculo a parte. Augusto e Gustavo, os irmãos super-protetores da Babi, são demais. Embora às vezes eles também sejam irritantes por não deixarem ela viver da forma que quer, ainda assim é gostoso de presenciar o cuidado que eles têm com ela. O laço familiar do livro é muito bacana e é possível, também, sentir esse carinho transbordar.
Ian, o amigo deles, é o cara mais lindo que Babi já viu na vida. Ele também tem olhos azuis, é extremamente bem sucedido, além de viciado em sorvete de café (detalhe importante!) e apaixonado por sua gata, Victoria. Mas sua personalidade, oh… Sempre emburrado, ele e Babi tem uma relação super engraçada de cabo de guerra. Eles sempre se irritam mutuamente e, morando embaixo do mesmo teto, a coisa só fica mais e mais tensa.
Ainda assim, ao longo do livro, ele também passa por um processo de maturidade incrível! Se Ian consegue ser apaixonante mesmo quando está irritado, é de se derreter completamente por ele nas páginas finais…
O único personagem que não tem tando enfoque quanto os outros é Bernardo, mas ele não deixa de ser importante para a história. Todos os personagens, sem exceção, fazem parte de momentos decisivos nas vidas uns dos outros e isso faz toda a diferença na leitura. Até os animais de estimação são bem desenvolvidos e tem participação ativa no enredo, coisa que dificilmente acontece. Eles sempre estão ali, presentes, e o fato de a autora não ter deixado ambos no esquecimento me deixou bem feliz! <3

Mas nem tudo são flores em “O Garoto dos Olhos Azuis”! Apesar de todas as risadas, há uma reviravolta tensa na história que me fez ficar torcendo por um final feliz!
Um dos pontos mais interessantes que é abordado no livro e que achei relevante foi a inveja. Muita gente acha que isso não existe, especialmente com relação a pessoas próximas de nós. No entanto, a felicidade sempre incomoda e é curioso como isso desperta a cobiça alheia. Aqui, não é diferente. Pior ainda é ver até onde as pessoas podem chegar para humilhar e acabar com as outras por acharem que elas “estão no meio do caminho”, quando na verdade elas estão disputando apenas consigo mesmas.

Quanto à edição, tive o prazer de ganhar um exemplar e um marcador autografados pela autora! <3
Tudo nele foi pensado para que a experiência de leitura fosse o mais prazerosa possível e o zelo pelo leitor já inicia na belíssima capa! Ao início de cada capítulo existe um pensamento ou trecho de música que tem relação com o que vai ocorrer em seguida e marquei a maioria deles como válidos inclusive para minha vida.
Os arabescos alegrando as páginas, as fontes diferenciadas… Tudo de ótimo bom gosto, sem cansar ou poluir a vista do leitor. Há alguns trechos em que os personagens também trocam SMS e achei engraçadíssimo o detalhe de como o nome deles aparece salvo no aparelho de cada um! 😀
Apesar das quase 400 páginas, não achei o enredo cansativo ou arrastado em nenhum momento. O único ponto negativo são alguns errinhos de digitação em uma parte ou outra, mas que não chegam a atrapalhar a leitura de forma alguma.
Ele é narrado em 1º pessoa pela Babi, mas, nas páginas finais, a narração passa para outro personagem muito especial na história, que só não menciono por achar que será spoiler, rs.
Li tão empolgada que só depois percebi que não estava marcando quotes, haha! Depois separei algumas que mais gostei:

❤ “- Aceita almoçar comigo, como um pedido de desculpas? – ofertou.
– Aceito. – Eu iria com ele até o inferno se me pedisse com jeitinho.” (p. 149)
❤ “Não tive tempo de ficar feliz por não ter sentido absolutamente nenhuma dor em relação ao que tinha presenciado havia pouco. A questão era que eu tinha um problema bem maior no momento.
Eu estava apaixonada e isso daria merda!” (p. 165)
❤ “Quantas vezes era possível se apaixonar pela mesma pessoa?” (p. 196)

Em resumo, se você está procurando uma leitura apaixonante e divertida, nem pense duas vezes! Recomendo inclusive pra curar aquela ressaca literária!
Aproveito para agradecer a autora por ter me dado a oportunidade de ler esse livro gostosíssimo e de ter me presenteado com ele! Já fiquei fã da escrita despojada e descontraída dela e não vejo a hora de conhecer seus próximos trabalhos!

NOTA: 
E vocês, já leram esse livro? O que acharam? Se não, tem curiosidade de ler?
Beijos a todos!
Continue acompanhando o blog nas redes sociais:

Você também pode gostar de:

6 Comentários

  1. Um livro com um personagem emburrado? Já me apaixonei!! kkkkkk
    Sério, amo <3 Desde "Nós" e "Projeto Rosie", procuro histórias onde personagens não convencionais encontrem também seu cantinho. Afinal, nem só de Romance vivemos, e muitos "anti-heróis" podem também conquistar nossos corações né…
    Adorei a resenha! Espero conhecer esta leitura algum dia!
    Bjs,
    Rebeca

    1. Olá, Rebeca!
      Ai, eu confesso que amo mocinhos e mocinhas que ficam nesse lance gato-rato, sabe? É tão mais real um casal que vive de briguinhas, mas no fundo se ama, do que romances melosos que a gente sabe que não consegue se identificar!
      Concordo exatamente com vc! Tem como não amar o Don e todo aquele jeitinho peculiar? Hahaha!
      Ainda falta ler "Nós", está na minha lista!
      Bjocas! <3

  2. Oie!

    Eu sou a Ana, também estou participando do amigo secreto criado pela Rebeca do Papel Papel!
    Amei o blog, e já estou seguindo em todas as redes sociais 🙂

    Já estava louca pra ler esse livro, depois dessa resenha, vai ter que fazer parte da estante logo logo!
    Tudo super lindo no blog, parabéns!

    Beijos,

    Ana Luiza

    entrepaginasblog.blogspot.com.br